segunda-feira, 1 de novembro de 2010

385 - improviso para maçãs e violas graves

quando o céu se foi embora
fitei teus lábios no horizonte
manchados vermelhos rubra
a face de terna despedida

22 comentários:

Angélica Lins disse...

Imaginei um poete de beijo...

Que coisa fantástica!!!

Beijos soprados pra ti.

Silvana Nunes .'. disse...

Muito lindo, realmente. Gostaria de ser romântica assim, infelizmente o romantismo me foi tirado cedo demais.
FOI DESSE JEITO QUE EU OUVI DIZER... e MEU CADERNO DE POESIAS desejam uma boa semana para você.
Saudações Educacionais !

Malu disse...

Assis,


Porq será que sempre tem um quê
de Ternura nas despedidas ?

Linda poesia Máxima/mínima ...


BjO Grande.

Mai disse...

Solfejos de olhos no céu da boca.
O desejo é vermelho, e o poema é o sumo da maçã que escorre dulcíssimo.

cheiros de amanhecer.

Lau Milesi disse...

Lindo! "Imarcescível"! :)
Beijo, poeta .

Jorge Pimenta disse...

é incrível, assis, como os teus textos assumem, sempre subtilezas semânticas que julgo apenas ao alcance dos grandes. o desaparecimento do céu projecta-se na despedida que mancha os lábios abaixo da sua linha mais esquiva; é "a face da terna despedida".
belíssimo!
um abraço!

Pablo Rocha disse...

E toda despedida é repleta de poesia.

Abraços. Assis!

Ingrid disse...

Após a vigília, a despedida..
em maviosas palavras e visão que só se le em tuas palavras..
beijos..

Mirze Souza disse...

O horizonte sobreviveu sem o céu, deixou lábios.

Belo, Assis!

Beijos, poeta 2001

Mirze

Wanderley Elian Lima disse...

Nem sempre a despedida é terna, muitas vezes é tão doída.
Abração

Batom e poesias disse...

Toda despedida é muito triste.
Todo poema teu é muito lindo!

bj
Rossana

Lívia Azzi disse...

Uma última mordida...

Um beijo!

Solange disse...

Assis...

tal qual o poente...
os lábios pintam o horizonte da alma...

que lindo !!!!!!

que lindo....


beijo grande

nina rizzi disse...

ah, menino, como elleniza...

Gerana Damulakis disse...

Q tom e q título!

Lara Amaral disse...

Impecável!

Beijo, poeta!

Daniela Delias disse...

Que belo improviso...bela a imagem desse céu que se vai...
Bjos!

Rodrigo Passos disse...

lindo poeta!

Adriana Godoy disse...

O céu se foi e ficaram as mancas de baton na despedida. Bonito, Assis. Bj


PS: Li os outros que não conhecia. Adorei.

Marcantonio disse...

O poema é belo, como de costume; música feita com elementos fortemente visuais. Mas, o título, nossa, é formidável, apela aos cinco sentidos!

Grande abraço!

Everson Russo disse...

E essa face da despedida é triste, tem um semblante ruim,,,abraços de bom feriado.

Luiza Maciel Nogueira disse...

só fico imaginando o beijo rubro da despedida num casal saudoso :)

beijos!