sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

470 - primeiro ensaio sobre a astúcia mineral

quem disse que pedras não ideiam
agora mesmo vi uma esquecida em devaneios
e do seu labor de realeza escorria o limo verde

23 comentários:

Everson Russo disse...

Muitas vezes no rolar das pedras pelos caminhos, ela se contornam em coração...abraços de bom final de semana.

Ingrid disse...

Devaneios que choram..
beijo e bom findi querido Assis.

Tania regina Contreiras disse...

Com a beleza que evoca Manoel de Barros. Lindo, Assis!
beijos

Ribeiro Pedreira disse...

do verde que escorre, extrai-se um lirismo que alimenta.

Jorge Pimenta disse...

pedra-de-toque é a tua poesia. e nela se inscrevem todos os sentidos im.possíveis.
abraço!

Mirze Souza disse...

ASSIS!

As pedras são o máximo! Realeza mineral!

Beijos, poeta MIL!

Mirze

Non je ne regrette rien: Ediney Santana disse...

uma dia li que Raul Seixas tepois de umas cachaças sempre muitas, ficou parado esperando um pedra se mover,
então ele com Pualo Coelho escreveram - Medo da Chuva

Marcantonio disse...

Nossa! Esse é lapidar. O devaneio mineral faz crescer cabelos verdes na calva silenciosa. E nós? A que reino nos ligamos pelo devaneio?

Abração!

Anônimo disse...

Règne ? Tu c'est seul roi. Seul.
You're the only king, nobody has to.
Tu sei l'unico re!
Usted es el único rey!

Visitez Chantal .

Néia Lambert disse...

Pedras ideiam sim, fingem não nos ver, mas não saem do caminho.
Um abraço.

Daniela Delias disse...

Sim, até elas...
Bjos!

Lívia Azzi disse...

Seu poema nos traz um belo aprendizade:

ver uma pedra "esquecida em devaneios" (é só para as almas sublimes)

Lembrei-me do filme de Almodóvar...

Um beijo!

Analuz disse...

Assis, poeta arauto das pedras...

; )

Beijinho de Luz!

Marinha disse...

Assis, tuas metáforas criam imagens em mim. Lindo!
Bjo e paz.

Domingos Barroso disse...

Eureka!

Camarada Assis,
poema vasto
...

magnífico!

forte abraço.

Eder Asa disse...

Poeta, você não é o único que vê pedras em seu caminho, acredite...

teca disse...

Imagens inimagináveis na minha cabeça...
Um beijo.

Cris de Souza disse...

lembrei do manoel de barros, o íntimo das pedras.

beijo, poetasso!

Oria Allyahan disse...

Imagine o poder das montanhas... e um mar verde...

Abraços!

^^

Ana SS disse...

Há pedras...e pedras. ..

dade amorim disse...

Às vezes atá as pedras choram.

Beijo.

Mai disse...

Você me faz bem.

"quem disse que pedras não ideiam"

Este poema é daqueles pra se guardar e sacar em emergências.

Eu conseguí sorrir.

cheiro e abraço

Lídia Borges disse...

Claro que sim. Pedras ideiam mesmo. Algumas florescem às mãos do poeta.

L.B.