sábado, 24 de março de 2012

898 - poeminha de areia para vendaval marinho


afeto afoito de mar
são ondas e vagas
inventos de imersão

17 comentários:

dani carrara disse...

o mar é aquela sensação de nascimento

um beijo.

AC disse...

Mar, resquícios de memórias do primevo caldo genético...

Abraço

Jorge Pimenta disse...

todas as nossas marés são explosão de vaga disforme para afetos afoitos. nenhum coração se faz sem sal...

abraço, poeta!

Mai disse...

e você encontra sílabas perfeitas a um vendaval. Gênio!

cheiro

Everson Russo disse...

Imensidão e mistérios de mar...de amar...abraços de bom sábado.

Mirze Souza disse...

Os mistérios do mar, entendo muito.

Zesim e eu.

Beijo

Mirze

Daniela Delias disse...

Nada como um banho de mar...

Beijos,

:)

Bípede Falante disse...

afeto afoito de mar traz ondas de alegria, ondas de criança, ondas de amor, amor espumado, calmo ou acorrentado, mas amor.
beijos :)

Sr.Borges disse...

o poeta canta as duas
banhadas de sal e areia
como ânforas e ébrios

Aceno de navegante pra ti, Assis!

Lídia Borges disse...

Um mergulho destemido na certeza dos afetos.

Beijo meu

Welliton Oliveira disse...

muito bonito

teca disse...

Uma delícia de versos... suaves como marolas...

Beijo.

Ira Buscacio disse...

Quando o (a)mar nos leva ao fundo.
bjs

Ingrid disse...

que vem e vão..
beijo poeta..

Cris de Souza disse...

mexeu com o mar, mexeu comigo...

Luiza Maciel Nogueira disse...

inventos maravilhosos estes!

beijos

dade amorim disse...

Banho que faz lembrar as águas primevas.

Beijo, Assis.